O cliente no início, no fim e no meio

customer-heart

Você conhece, trabalha ou dirige um negócio que está dando certo?

Negócios dão certo por vários motivos. Uma ideia inovadora, um momento favorável, uma operação eficiente, gestão eficaz, produtos e serviços com valor agregado, liderança empreendedora, colaboradores com visão compartilhada.

Essa é uma lista enxuta e, geralmente, aceita fatores críticos de sucesso. Mesmo reduzida, pode ser considerada virtualmente completa se em cada um desses elementos estiver considerada a visão do cliente.

Ideias inovadoras são vitais para criar, para desenvolver, para transformar e para perenizar negócios e empreendimentos, independentemente de porte ou mercado. Inovação não discrimina tamanho, tempo, tecnologia nem dinheiro. Só demanda alinhamento, execução primorosa e colocar o cliente no centro da inovação.

Momentos favoráveis funcionam para os negócios como vento de popa funciona para barcos à vela. As coisas dão certo e os resultados são conquistados mesmo quando um ou outro aspecto da operação não acompanha a direção do vento. Já viu acontecer?

O vento, como a sorte, é inconstante e situacional. Demanda prontidão para mudar, mantendo, porém, o cliente no leme.

A lógica objetiva da eficiência operacional foi criada no mesmo molde que também produziu o erro, o que traz certa dose de ambiguidade para a gestão, mesmo quando há padrões bem desenhados, processos inteligentes, sistemas avançados e foco em acerto.

O cliente é o elo que humaniza a eficiência operacional e no mesmo movimento estende essa condição à eficácia da gestão. O que é certo fazer sempre inclui o cliente, suas necessidades, e o que podemos fazer a respeito disso.

Na origem e na aplicação, produtos e serviços dependem do cliente para obter e manter status de valor agregado. Não há outra medida, outro parâmetro, só o cliente.

Liderança empreendedora e colaboradores com visão compartilhada são forças sinérgicas, interdependentes e mutuamente influentes. O cliente é sua causa comum, sua oportunidade de contribuição, sua possibilidade de transformação.

Sucesso nos negócios é um jogo que se ganha com o cliente, não contra ele.

O cliente tem o poder de levar pessoas e empreendimentos até os mais elevados sonhos de conquistas e realizações e sustentá-los lá. A chave é manter o cliente no centro de cada projeto, de cada negócio, de cada empreendimento. Desde o início, até o fim.

Artigo do portal Exame

Share on LinkedInShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someoneCompartilhe
Posted in: Blog
Comente: