Além da liderança e do trabalho de equipe

shutterstock_130202015

Alguma vez você já imaginou ser capaz de compreender quais seriam suascaracterísticas principais de liderança? Ou quem sabe se você pudesse lidar com as suas emoções e seus comportamentos resultantes, através da análise do seu cérebro?

E se fosse possível potencializar o desenvolvimento de um líder a partir de um estudo das funções cerebrais? Como nós poderíamos nos beneficiar com essa informação?

Se essas perguntas lhe despertou interesse, você não pode ignorar este artigo.

Sabe porque?

Porque se você nunca ouviu falar em neurociência cognitiva da liderança, isto pode mudar a partir de agora.

Muito provavelmente se bem aplicada, muitos líderes poderão utilizar-se melhor dela. Esses líderes poderão conduzir, influenciar, e saber o que os compromete e os motiva, para então, conseguirem melhores resultados através delas.

Talvez você não saiba, mas é importante considerar que no mundo das organizações sabemos que não é uma tarefa fácil para as empresas conhecerem o que os colaboradores estão pensando e sentindo, e é bem provável e mais difícil ainda descobrir o por que as pessoas fazem o que fazem.

Porque muitas vezes nos frustramos quando o colaborador não atende as expectativas.

Na busca de uma explicação científica para isso, uma equipe de pesquisadores americanos investigou como o cérebro das pessoas reage sob a influência de líderes conforme os grupos analisados. E constatou-se a análise sob o aspecto de 2 tipos de líderes:

Empáticos ou Ressonantes, ou seja, são pessoas capazes de ativar em outras pessoas circuitos cerebrais que lhes permitem ser criativas, integradas e perceptivas;
“O cérebro das pessoas ao redor dos líderes ressonantes é ativado de tal forma que elas só querem estar envolvidos”, Trata-se de uma reação de atração.
Autoritários ou Dissonantes, ou seja, são pessoas capazes de inibir o funcionamento desses circuitos cerebrais e coloca a pessoas num estado neurológico que desfavorece o engajamento.
“O cérebro das pessoas ao redor dos líderes dissonantes é ativado de tal forma que elas só querem afastar-se deles”, Trata-se de uma reação de evitar.
Todos sabemos o quanto é importante para um líder liderar pelo exemplo, não é?

No último artigo, compartilhei o incrível poder de transformação de um líder quando somos capazes de identificar o nosso“objetivo maior”.

E uma passagem em particular chamou atenção de muitos leitores:
Onde sabiamente diz “Espinoza.

“Não é por julgarmos uma coisa boa que nos esforçamos por ela, que a queremos, que a apetecemos, que a desejamos, mas, ao contrário, é por nos esforçarmos por ela, por querê-la, por apetecê-la, por desejá-la, que a julgamos boa”.

Talvez você não saiba, mas é importante considerar que além de todos os motivos que já conhecemos de o porquê um líder deve ser um exemplo para sua equipe, existe ainda uma explicação neurológica e biológica para isso.

Você sabia que o cérebro humano contém um certo tipo de neurônio que os cientistas classificam como “ Neurônios Espelho”?

E esses neurônios são ativados quando fazemos algo ou quando observamos algo sendo feito por outras pessoas e eles são localizados no córtex inferior frontal e no lóbulo parietal superior.

Ora, mas o que isto quer dizer?

Que eles são tão importantes para explicar grande parte de nossas ações que um cientista da Universidade da Califórnia declarou a seguinte e forte afirmação: “ O que o DNA é para a biologia, os Neurônios Espelho estão para psicologia. ”

Isto talvez justifique o incrível poder do meio influenciar as pessoas e o grande poder que temos de replicar aquilo que aprendemos.

Se um líder eficaz sabe se relacionar, sabe se fazer ouvir, sabe inspirar, desafiar e extrair talentos. É bem verdade que ele é capaz de estabelecer o que chamamos de “conexão” ou seja, alinhar as tarefas dos liderados com o “um propósito maior” da empresa, sem fazê-los esquecer dos objetivos corporativos e pessoais.

Se você, líder, assim como eu, se responsabiliza por cada atitude tomada e coloca, uma forte intenção no que faz para o benefício de outras pessoas, esse é então o seu destino.

Seja um líder melhor do que você imagina, até o ponto em que você não será tratado como louco e sim admirado por uma multidão.

Artigo do site Administradores.com

Share on LinkedInShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someoneCompartilhe
Posted in: Blog
Comente: