4 em cada 10 moradores das favelas brasileiras querem empreender

Empreender, ser o próprio chefe e conquistar independência financeira - esse é o sonho de boa parte dos brasileiros, inclusive dos moradores de favelas.

Uma pesquisa inédita feita pelo instituto Data Favela, com apoio do Data Popular e da Cufa (Central Única das Favelas), revelou que quatro em cada dez moradores de favelas têm vontade de empreender. Mais da metade desses aspirantes a empreendedores ainda pretende abrir o negócio em até três anos.

Entre os moradores que pretendem ter o próprio negócio, 63% querem empreender dentro da favela onde vivem. Já 19% têm a intenção de empreender fora de sua comunidade, mas em um bairro próximo, e 15% em bairros mais afastados de casa. A maior parte das pessoas (35%) deseja investir no ramo de alimentação.

Quem são os futuros empreendedores

A maioria (56%) dos futuros empreendedores das favelas brasileiras pertence à da classe C, 38% são da classe baixa e 7% da classe alta. Mais de 50% deles têm 25 anos e são casados, sendo 49% homens e 51% são mulheres.

Na avaliação do instituto, empreender na própria comunidade fortaleceria a economia local. Entre os moradores que fizeram compras nos últimos 30 dias, 82% compraram itens básicos no comércio que fica na própria comunidade onde mora.

“Pensando no potencial de consumo dos moradores, a favela ainda carece de mais oportunidades de negócios para atender a população local. Existem espaços para fomentar negócios nas mais diversas áreas”, explica o presidente do Data Popular, Renato Meirelles. "Esse cenário favorece a entrada de novas oportunidades de negócios nas comunidades, uma vez que a maioria das pessoas recorre ao comércio fora da favela na hora de comprar produtos mais caros, como eletrônicos, eletrodomésticos ou produtos de tecnologia."

No levantamento, 81% dos moradores costumam comprar eletroeletrônicos fora da favela. Apenas 7% adquirem esses itens em uma loja na favela. Os moradores também saem da favela quando precisam comprar roupas e móveis – 81% compram roupas fora da comunidade e 76% costumam comprar móveis fora da favela.

A pesquisa entrevistou mais de 2 mil moradores de 63 favelas localizadas em nove regiões metropolitanas e também no Distrito Federal: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Belém, Fortaleza, Recife, Salvador, Curitiba, Porto Alegre e Brasília.

Matéria do Brasil Post

Share on LinkedInShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someoneCompartilhe
Comente: